Uso consciente dos recursos

As orientações da Política sobre Sustentabilidade da Odebrecht incluem os temas do consumo racional de recursos e da correta gestão de resíduos. Cada Negócio estabelece os indicadores para monitoramento e metas específicas de desempenho em função da natureza dos materiais que utiliza, como mostra o quadro a seguir.

RECURSOS ESSENCIAIS NO PROCESSO PRODUTIVO

Recursos Negócios em que o uso é relevante Razão da relevância
MATERIAIS Ambiental Produtos químicos utilizados no processo de tratamento de água e efluentes
Braskem (petroquímica) Derivado do petróleo, o principal insumo, a nafta, é não renovável. A matéria-prima é renovável quando originada do etanol (Plástico Verde)
Construtora Norberto Odebrecht/Engenharia & Construção Internacional Elevados volumes de materiais usados, que implicam extração de minérios (aço, cimento) e combustíveis não renováveis
Agroindustrial (açúcar, etanol e energia de biomassa) Insumos agrícolas e industriais usados na moagem da cana-de-açúcar
 ÁGUA Ambiental Tratamento e distribuição de água é o negócio da empresa
Braskem Volumes usados no processo industrial
Agroindustrial Volumes usados nos processos agrícola e industrial
Construtora Norberto Odebrecht/Engenharia & Construção Internacional Volumes usados no processo produtivo
ENERGIA Ambiental Volumes consumidos nas operações de tratamento e distribuição de água e no tratamento de efluentes
Braskem Volumes usados no processo produtivo
Construtora Norberto Odebrecht/Engenharia & Construção Internacional Volumes usados no processo produtivo
Agroindustrial Gera energia e é autossuficiente no recurso

Materiais

O aspecto Materiais é mais relevante para as operações da Construtora Norberto Odebrecht, Braskem, Odebrecht Agroindustrial e Odebrecht Ambiental em razão das quantidades utilizadas nos processos produtivos. A gestão do tema é descentralizada, cabendo à Holding o acompanhamento dos indicadores.

Os principais insumos da Odebrecht Agroindustrial são água, produtos agrícolas (fertilizantes, corretivos, herbicidas) e industriais (ácido sulfúrico, cal, soda), combustíveis e energia elétrica. A matéria-prima principal é a cana-de-açúcar. Durante a safra 2015/2016, houve aumento na quantidade de materiais consumidos em virtude da maior da produção e, consequentemente, de volumes de cana processada. Além disso, aumentou o rigor no controle dos usos e no apontamento das quantidades utilizadas em relação ao período passado. As Unidades vêm melhorando significativamente sua produção, a qualidade do processo e as técnicas, buscando extrair o máximo dos canaviais implantados, o que se reflete no aumento da cana processada e maior produção. Já outros materiais, como herbicidas e inseticidas, apresentaram aumento de consumo, explicados principalmente pelas reformas de canaviais e surtos de pragas como a cigarrinha.

No âmbito da Construtora Norberto Odebrecht, o consumo e o descarte de materiais são administrados individualmente em cada canteiro de obras onde é aplicada a solução mais adequada. Exemplo é o uso do sistema Bubbledeck, tecnologia que reduz 35% do volume do concreto utilizado em lajes estruturais, sem prejudicar as funções e o desempenho para qual foi projetada. Além de minimizar a geração de resíduos sólidos, a solução reduz o consumo de água, madeira, aço e cimento, minimizando também emissões de gases de efeito estufa.

Em 2015, a Construtora Norberto Odebrecht utilizou 15.182 metros cúbicos de madeira oriunda de reciclagem, o equivalente a 12% do volume total do insumo consumido no ano. G4-EN2Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

Pioneirismo com Bubbledeck

A primeira aplicação dessa tecnologia no Brasil ocorreu na construção do escritório da Odebrecht em Salvador (BA). Em seguida, parceria firmada entre a Braskem e a Bubbledeck viabilizou o fornecimento da resina para a produção nacional das esferas plásticas com apoio para a adaptação da tecnologia ao mercado brasileiro. A Construtora Norberto Odebrecht replicou a inovação nas obras do Centro Administrativo do Distrito Federal e do Aeroporto Tom Jobim – Galeão,  no Rio de Janeiro.

A tecnologia Bubbledeck foi utilizada nas lajes do Centro Administrativo do Distrito Federal

  Construtora
Norberto Odebrecht
Engenharia & Construção
Materiais Quantidade
Não renováveis
Cimento (t) 626.968 1.521.804
Aço (t) 165.187 312.038
Diesel (l) 157.385.048 294.324.356
Gasolina (l) 11.550.579 22.267.952
Renováveis
Etanol (l) 537.161 540.880
Madeira (m³) 110.994 229.864
Madeira de reflorestamento (m³) 26.625,96 59.941
Madeira de origem nativa (m³) 84.368,45 169.923
Madeira de supressão (m³) 4.863,38 5.399
Madeira de reciclagem (m³) 15.181,69 44.730

1 - Minerais, metais, petróleo, óleo, gás, carvão.
2 - Materiais repostos por ciclos ecológicos ou processos agrícolas, como madeira, álcool, óleo vegetal.

Os insumos básicos utilizados pela Braskem são materiais diretos não renováveis, como a nafta, o condensado, o etano, o propano, o HLR e o cloreto de sódio. A companhia também utiliza etano fabricado a partir do etanol de cana-de-açúcar para produzir eteno de fonte renovável, reduzindo assim sua demanda por insumos fósseis. Os volumes e/ou pesos consumidos não são divulgados, por se tratar de informação comercialmente sensível. Em suas unidades industriais, a empresa maximiza o reúso de matérias-primas, o que consiste em uma reciclagem interna. Para o futuro, estão sendo feitos investimentos em reciclagem química e recuperação energética. G4-EN1Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI G4-EN2Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

Odebrecht
Agroindustrial
 
Materiais Quantidade (t)
Não renováveis
Insumos agrícolas 448.516
     Corretivos 377.280
     Inseticidas 266
     Fungicidas 28
     Herbicidas 3.013
     Fertilizantes 67.488
     Outros fertilizantes orgânicos 441
Insumos industriais 22.895
     Cal 10.193
     Ácido sulfúrico 9.278
     Ácido clorídrico 76
     Soda 2.207
     Antibióticos 9
     Químicos inorgânicos 320
     Químicos orgânicos 812
Renováveis
Cana-de-açúcar processada 29.292.632
     Própria 23.344.178
     De terceiros 5.948.454
Total 29.764.043

Energia G4-DMAClique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

Pelos volumes demandados nas operações, o aspecto Energia é mais relevante nos Negócios de petroquímica (Braskem) e construção (Construtora Norberto Odebrecht e Odebrecht Engenharia & Construção Internacional). É abordado também com destaque em Agroindustrial, pois a empresa é autossuficiente e gera energia para comercialização como parte do modelo de produção integrada de açúcar, etanol e a cogeração de energia elétrica renovável a partir do bagaço da cana-de-açúcar.

Na safra 2015/2016, a geração excedente de energia na Odebrecht Agroindustrial foi de 2,2 mil GWh, o suficiente para abastecer mais de 10 milhões de pessoas. Melhorias, como maior utilização do vapor e otimização das torres de refrigeração, têm favorecido o balanço energético das unidades industriais a cada safra. No período, 99,5% do consumo de energia elétrica foi suprido por energia gerada do bagaço de cana.

Na Construtora Norberto Odebrecht, as prioridades para otimizar o consumo de recursos energéticos variam de acordo com os tipos e as fases dos empreendimentos. Cada canteiro de obras é responsável pela gestão energética, porém, a avaliação comparada dos resultados permite identificar melhores práticas para uso comum. Redução recente no consumo de energia reflete o menor número de obras em 2015.

CONSUMO DE ENERGIA DENTRO DA ORGANIZAÇÃO ODEBRECHT G4-EN3Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

  Construtora Norberto Odebrecht Engenharia & Construção Braskem Agroindustrial
  Gigajoules % Gigajoules % Gigajoules
(milhões)
% Gigajoules %
Gasolina 351.695 5,0% 685.202 5,3% 0 - 0 -
Diesel 5.583.232 79,8% 10.511.893 81,4% 0 - 0 -
Outros gases combustíveis 122.963 1,8% 484.072 3,7% 0 - 0 -
Álcool 11.733 0,2% 11.814 0,1% 0 - 0 -
Gás natural 0 - 0 - 27,4 16,0% 0 -
Bagaço de cana-de-açúcar 0 - 0 - 0 - 11.075.845 99,5%
Outros combustíveis1 0 - 0 - 128,5 75,0% 0 -
Eletricidade 924.143 13,2% 1.225.395 9,5% 15,4 9,0% 55.706 0,5%
Consumo total de energia (GJ) 6.993.766 100,0% 12.918.377 100% 171,3 100% 11.131.551 100%
Energia vendida 0 - 0 - 0 - 7.558.586 -
Consumo total de energia – líquido (GJ) 6.993.766 100,0% 12.918.377 100% 171,3 100% 3.752.956 100%

1 - Combustíveis externos e correntes internas ao processo.
Obs.: são detalhados apenas os Negócios em que a energia é um aspecto relevante e com impacto econômico e ambiental.

Reaproveitamento de água na Unib 1, a principal planta industrial da Braskem no Polo de Camaçari

Água G4-DMAClique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

A eficiência e o consumo consciente da água fazem parte das operações de todos os Negócios da Odebrecht. Todavia, pelo porte e quantidades envolvidas, são destaques as iniciativas da Odebrecht Ambiental, da Odebrecht Agroindustrial  e da Braskem

Nas unidades da Odebrecht Ambiental a atenção está em reduzir perdas e o consumo interno pela otimização de processos de produção e melhorias na rede de distribuição. A empresa é a maior prestadora privada de abastecimento de água e tratamento de esgoto do Brasil, atendendo aproximadamente 17 milhões de pessoas, em 179 municípios. Além disso, é pioneira no fornecimento de água de reúso para uso industrial, atendendo grandes Clientes de setores como siderurgia, petróleo, petroquímica e papel e celulose. Com isso, colabora na gestão das questões ambientais dessas empresas, empregando métodos e tecnologias sustentáveis em tratamento e reúso de água e efluentes e monitoramento ambiental. Do total de água consumida em 2015, 37,9% teve origem em reciclagem e reúso.
O dado soma volume dos Usuários-clientes (pessoas físicas e indústrias) e interno (toda água utilizada nos processos de tratamento de água, esgoto, área de resíduos e Utilities).

Nas operações agroindustriais, a água é insumo produtivo essencial, e seu consumo na moagem de cana é acompanhado por ecoindicador divulgado semanalmente. Adequações e aumento de eficiência no processo na safra 2015/2016 fizeram o volume total recuar 11,5% sobre o indicador de 1,13 m3 por tonelada de cana atingido na safra anterior. O reúso, com a recirculação da água no processo industrial, correspondeu a 43,9% do total captado.

Na Braskem foram consumidos, em 2015, 4,05m3 de água por tonelada produzida, resultado 1,6% melhor que a meta estipulada para o ano (4,11m3/t). Em termos absolutos, a Braskem consumiu 66,2 milhões de m3 de água em 2015, representando uma redução de 0,7% em relação a 2014. (Mais informações podem ser obtidas no relatório anual da empresa, acessível em www.braskem.com.br.)

4,05 m3/t
é a relação entre consumo de água e produção na Braskem - seis vezes inferior à média da indústria química mundial

44%
é o percentual de água reciclada nas operações da Odebrecht agroindustrial

VOLUME TOTAL DE ÁGUA RETIRADA POR FONTE (mil m³) G4-EN8Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

Fontes utilizadas Odebrecht Ambiental Braskem Odebrecht Agroindustrial Construtora
Norberto Odebrecht
Engenharia & Construção
Águas superficiais (rios, lagos e oceanos) 197.513 0 35.950  0 0
Águas subterrâneas 42.086 0 661 0 0
Águas superficiais e subterrâneas (*) 0 0 0 6.873 14.279
Abastecimento municipal ou outras empresas de abastecimento 348 66.200 0 747 3.407
Águas pluviais 0 0 0 69 135
Caminhão-pipa 0 0 0 1.680 3.025
Outras fontes 0 0 0  6 280
Total 239.947 66.200 36.611 9.375  21.126

(*) Os Negócios CNO e E&C passarão a informar separadamente essas duas fontes a partir de 2017.
Obs.: são detalhados apenas os Negócios em que a água é um aspecto relevante e seu consumo impacto econômico e ambiental.

ÁGUA RECICLADA E REUTILIZADA (mil m³) G4-EN10Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

Empresa Volume %
Odebrecht Ambiental1 90.870 37,9%
Odebrecht Agroindustrial 16.088 44%
Braskem2 16.600 25,1%
Construtora Norberto Odebrecht 634 6,8%
Engenharia & Construção 1.337 6,3%

1 - Soma água reciclada e reutilizada tanto no consumo interno (processos de tratamento de água, esgoto, área de resíduos e Utilities) como no negócio (nesse caso, é contabilizado apenas o volume da Unidade de Jeceaba/MG (segmento Utilities) por ser responsável por captar, tratar, distribuir e reciclar/reutilizar a água na planta do Cliente).
2 - Não considera o reúso de água em torres de resfriamento.