Inventários anuais das emissões de gases de efeito estufa (GEE) são feitos em todos os Negócios da Odebrecht em que as emissões são significativas (99% do total). Em alinhamento às diretrizes do GHG Protocol, os indicadores são consolidados no conjunto e acompanhados pela Holding. Metas de melhorias na gestão das emissões de GEE fazem parte dos Programas de Ação e dos programas de monitoramento conduzidos pelas equipes de sustentabilidade das empresas. As emissões mais relevantes são provenientes das operações da Braskem, que correspondem a 84,9% do total.

As emissões consolidadas em 2015 para todos os Negócios somaram 34,5 milhões de toneladas de carbono equivalente (tCO2e). Desse total, 35,2% referem-se a emissões diretas sob controle de cada Negócio, representando uma emissão específica de 0,08 grama de carbono equivalente (gCO2e) por real de receita bruta.

A Braskem concentra seus esforços para a diversificação das matérias-primas básicas com o objetivo de reduzir progressivamente o nível das emissões. A empresa, líder na produção de biopolímeros (plástico verde) a partir da cana-de-açúcar, vem aumentando progressivamente o consumo de gás natural, combustível menos intensivo em emissões de GEE quando comparado à nafta. Considerando as diferenças, em valores absolutos, das emissões reais entre 2009 e 2015 em comparação ao ano-base 2008, foram evitadas emissões de 5,3 milhões de tCO2e, o que equivale ao plantio de 35 milhões de árvores. G4-EN27Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

Na Odebrecht Agroindustrial, o processo produtivo de etanol, açúcar e energia elétrica de biomassa captura mais gases de efeito estufa do que emite. Além disso, o cultivo de cana-de-açúcar em áreas antes utilizadas para a pastagem traz equilíbrio e aumenta o processo de captura de carbono, contribuindo adicionalmente com a retirada de CO2 da atmosfera. Na safra 2015 / 2016, a mitigação líquida foi de 6,0 milhões de tCO2e, 54% acima do período anterior, justificado pelo aumento na produção, uma vez que o grande volume de emissões evitadas decorre do uso do etanol como combustível e da energia elétrica excedente. O efeito líquido equivale a 39 milhões de árvores plantadas.

Na Odebrecht Ambiental, observa-se desde 2012 um crescimento quase proporcional nas emissões dos três segmentos de atuação da empresa (Saneamento, Utilities e Resíduos), efeito do crescimento físico do Negócio, com novas unidades passando a reportar seus dados. Saneatins e Recife – as duas maiores unidades – iniciaram o reporte, respectivamente, em 2013 e 2014, quando passaram à gestão da Odebrecht Ambiental. Na Odebrecht Engenharia e Construção, que engloba as operações da Construtora Norberto Odebrecht no Brasil, foi estabelecida meta de redução de emissões de 25% até 2020 em relação ao ano-base 2010 (ano do primeiro inventário realizado), considerando a soma dos escopos 1 (emissões diretas) e 2 (emissões indiretas por aquisição de energia) dividida pela receita bruta (g CO2e/R$). Em 2014, pela primeira vez, foi possível atingir a meta proposta para 2020.

EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA (GEE), em tCO₂e ¹

  Consolidado Odebrecht Braskem Agroindustrial Construtora Norberto Odebrecht Engenharia & Construção Ambiental Óleo e Gás TransPort Imobiliário
Escopo 1 (emissões diretas brutas) G4-EN15Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI 10.778.895 9.140.042 638.094 183.939 555.643 217.532 24.538 18.008 1.099
Escopo 1 (emissões biogênicas)2 G4-EN15Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI 5.862.734 0 5.831.904 10.364 16.634 2.166 78 1.588 0
Escopo 2 (emissões indiretas - energia adquirida) G4-EN16Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI 1.183.957 1.077.644 1.732 9.743 38.545 46.220 572 8.823 678
Subtotal Escopos 1 + 23 11.962.851 10.217.686 639.826 193.682 594.187 263.752 25.110 26.831 1.777
Escopo 3 (outras emissões indiretas - fontes externas) G4-EN17Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI 18.682.895 15.803.961 325.390 417.903 1.372.060 127.282 405.298 24.056 206.945
Escopo 3 (emissões biogênicas - fontes externas) G4-EN17Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI 2.058 0 0 783 1.090 41 0 144 0
Total Escopos 1 + 2 + 33 30.645.747 26.021.647 965.216 611.585 1.966.428 391.034 430.408 50.885 208.722

1 - Considera os gases CO2, CH4 e N20.
2 - Emissões biogênicas: provenientes de mudanças no uso do solo. As emissões biogênicas estão relacionadas ao CO2 absorvido da atmosfera pela planta durante o processo de fotossíntese e, por isso, são consideradas neutras e contabilizadas separadamente. No caso da Odebrecht Agroindustrial são provocadas pela queima do bagaço da cana.
3 - Total exclui emissões biogênicas.

INTENSIDADE DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA 1 (GEE) G4-EN18Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

  Consolidado Odebrecht (tCO2e)
Intensidade das emissões – Escopo 1 (g/CO2e/R$ receita bruta) 1 0,077
Intensidade das emissões – Escopo 1 + 2 (g/CO2e/R$ receita bruta) 0,086
Intensidade das emissões – Total – Escopo 1 + 2 + 3 (g/CO2e/R$ receita bruta) 0,216

1 - Receita bruta de R$ 132.519 milhões em 2015

Emissões de GEE por Negócio

Emissões de GEE por Escopo

Emissões da Odebrecht Agroindustrial

(t CO2e)

0,9 milhão
de emissão relativa à produção, ao processamento, ao transporte e aos insumos

5,5 milhões
de emissões evitadas com o uso do etanol como combustível e energia elétrica excedente

1,3 milhão
de estoque de carbono em decorrência do Land Use Change (LUC)1

5,9 milhões
de tCO2e mitigação líquida (1,3 + 5,5 - 0,9)2

(1) Land Use Change (LUC): as emissões derivadas da mudança de uso da terra (variação dos estoques de carbono no solo e acima do solo), na Odebrecht Agroindustrial resultam em aumento do sequestro de carbono, levando à maior mitigação líquida. As estimativas de LUC possuem alguma incerteza, pela deficiência de dados de estoques de carbono em equilíbrio no solo. O método de cálculo considerou fatores default do Tier 1 do IPCC e foi melhorado com os dados mais recentes e regionais do Harmonized World Soil Database (HWSD).
(2) O Programa Brasileiro GHG Protocol não adota o conceito de emissões líquidas de GEE, mas orienta que as organizações inventariantes relatem emissões e remoções separadamente.

Emissões GEE Específicas Braskem

Escopos 1 e 2 (t CO2e/t produto)   G4-EN18Clique e tenha mais informações sobre esse aspecto no Sumário de conteúdo GRI

A Braskem concentra esforços na diversificação das matérias-primas básicas, com o objetivo de reduzir suas emissões atmosféricas