Gestão Ambiental

Sérgio Leão, Responsável por Sustentabilidade na Odebrecht S.A.

Cabe à Holding acompanhar o desempenho da gestão ambiental de seus Negócios por meio de macroindicadores reportados periodicamente por todos eles e fomentar a sinergia e o alinhamento de temas sobre sustentabilidade que sejam de interesse comum.

Para isso, a Holding coordena o Comitê de Sustentabilidade, criado em 2012 e composto pelos responsáveis pelo assunto em todos os Negócios. O Comitê se reúne mensalmente para compartilhar conhecimentos, participação em fóruns, boas práticas, compromissos, indicadores, informes e a agenda temática: mudanças climáticas, inventário de gases de efeito estufa, protocolos firmados, participação em plataformas coletivas.

No âmbito dos Negócios, o acompanhamento dos indicadores ambientais é realizado em conjunto entre os responsáveis pelo apoio em Sustentabilidade e a unidade responsável pela parte operacional. São pactuadas metas de desempenho que fazem parte do Programa de Ação (PA) dos Líderes tanto dos contratos quanto dos Negócios dos quais fazem parte.

A gestão ambiental nos Negócios da Odebrecht também obedece às orientações da Política sobre Sustentabilidade. Como desdobramentos desta Política, diretrizes específicas se aplicam a cada Negócio. A preservação ambiental e da biodiversidade é considerada um valor nas operações de todos os Negócios. A Política de Comunicação e o Código de Conduta da Odebrecht também abordam temas relativos ao meio ambiente.

Gestão de impactos

A gestão de impactos dispõe de recursos financeiros e humanos específicos. O investimento socioambiental para a mitigação, correção, recuperação ou compensação de impactos, em 2015, chegou a R$ 604,7 milhões.

O monitoramento ambiental realizado em cada unidade operacional inclui os indicadores de desempenho específicos de cada operação, em função da relevância de seus impactos e riscos. Indicadores comuns são consolidados pela Holding para todos os Negócios, entre os quais os relativos ao inventário e gestão das emissões de gases de efeito estufa.

A aplicação da Política sobre Sustentabilidade, assim como da Tecnologia Empresarial Odebrecht e do Código de Conduta, se traduz em programas de gestão de riscos e mitigação de impactos mantidos de forma voluntária nos Negócios e assegura que o Princípio de Precaução esteja presente em todas as etapas do desenvolvimento das suas operações. Nas tomadas de decisões são analisados cenários, rotinas operacionais e variações climáticas, antecipando possíveis situações de risco ao meio ambiente e à integralidade física das pessoas, nas áreas de influência direta e indireta dos Negócios. GRI G4-14

As soluções de mitigação de impactos variam conforme as operações e o meio em que são desenvolvidas. Na Braskem, por exemplo, os principais impactos relacionam-se ao uso de materiais não renováveis (como a nafta) e a emissões atmosféricas. A empresa minimiza esses aspectos com a melhoria da produtividade em seus processos e o desenvolvimento de produtos que tenham menor impacto ao longo de seu ciclo de vida.

Diversos Negócios da Odebrecht participam de iniciativas coletivas para a melhoria da eficiência na gestão das emissões de gases de efeito estufa e apoiam políticas públicas de combate à mudança climática. Um exemplo é a adoção de compromissos e recomendações assumidos na Carta Aberta ao Brasil, publicada em 2015 pelo Fórum Clima, iniciativa coordenada pelo Instituto Ethos, no Brasil. Em junho de 2015 foi lançada a Coalização Brasil, Clima, Florestas e Agricultura da qual participa a Odebrecht Agroindustrial. (Mais informações nos temas Inovação, Emissões atmosféricas e Resíduos)

Na Braskem, em 2015, a intensidade carbônica (escopos 1 e 2) apresentou redução acumulada de aproximadamente 16% em relação ao ano base 2008. No período, foram evitadas as emissões de 5,3 milhões de toneladas de CO2e, o que corresponde ao plantio de 35 milhões de árvores. (Mais informações estão disponíveis no Relatório Anual da empresa, acessível em www.braskem.com.br).

A Odebrecht Ambiental lançou em 2015 dois programas complementares para o controle de impactos e a recuperação ambiental: Monitoramento de Corpos Hídricos e Preservação de Mananciais, que incluem orientações para a participação em comitês e em ações de reflorestamento de matas ciliares, contenção de erosões e conservação do solo, sinalização em Área de Preservação Permanente (APPs) e revitalização de áreas de captação, recarga de aquíferos e nascentes.

R$ 604,7 milhões
de investimento obrigatório em
iniciativas ambientais

Política sobre
Sustentabilidade

orienta atuação dos Negócios

Compromissos com
ações de combate a

mudanças
climáticas

5,9 milhões tCO2e
de mitigação
líquida de gases de efeito estufa na
Odebrecht Agroindustrial

2,4%
de redução de
consumo de energia
na Braskem